O que você pode fazer com o seu 13º Salário?

 

O final de ano está chegando e com ele o 13º salário, um direito do trabalhador e uma garantia da lei brasileira que possui vários propósitos, como o aquecimento do mercado em feriados importantes e das festas de fim de ano.

Entretanto, muitas vezes nos deixamos levar com essa renda extra em mãos e não a aproveitamos com o que realmente é mais importante, pois vale ressaltar despesas como IPVA, IPTU e Imposto de Renda.

“O que posso fazer com esse dinheiro para que ele possa render?”

 

Aqui vão algumas dicas para que possamos usufruir deste benefício:

 

1 – Escolha com cuidado seus gastos nessa época do ano. Nessa época do ano é difícil priorizar um gasto em detrimento de outro, porém segurar esses gastos é fundamental para manter um orçamento equilibrado.
Antes de planejar com quais compras irá gastar o 13º salário, reflita sobre a necessidade de alguns gastos e, eventualmente, faça mudanças. É possível alternar viagens nacionais e internacionais, por exemplo, para não comprometer demais as finanças, ou até mesmo dar presentes apenas pras crianças ou pra um casal pois isso não pesaria no orçamento.

 

2 – Dê prioridade a pagamentos à vista. Ao deixar de parcelar suas dívidas, você deixa de comprometer o orçamento futuro e economizará, pois lojas, prestadores de serviços e instituições financeiras oferecem descontos para pagamentos à vista. É melhor acumular fundos para comprar um eletrodoméstico ou outro bem móvel, do que comprometer durante meses seu orçamento futuro.

 

3 – Reserve dinheiro para eventualidades. Isso pode ser muito útil no caso de alguma eventualidade (problemas mecânicos, problemas de saúde, necessidades financeiras de algum parente ou amigo próximo e outros). Se ainda não tem, crie um fundo de emergência para situações inesperadas e reserve parte do 13º para essa finalidade.

 

 

4 – Lembre-se que há descontos também no 13º salário, como Imposto de Renda e INSS. Leve isso em consideração ao planejar seus gastos e não se exceda!

 

5 – Pense nos gastos do início do ano seguinte. O IPTU, por exemplo, é normalmente cobrado já a partir de janeiro, assim como o IPVA. Porque não reservar uma parte de seu 13º salário para quitar essa dívida? Dessa forma, você conseguirá descontos e não terá seu orçamento comprometido durante o primeiro semestre.

 

6 – Faça um orçamento mensal e um anual.  Por meio de um orçamento anual, você tem como planejar os gastos de modo a obter uma visão mais ampla sobre os períodos de muitos gastos (e, portanto, de menores sobras para supérfluos) e de maiores rendimentos, e permite que você leve em consideração o valor de despesas sazonais, como IPTU, IPVA e manutenção de um veículo. Isso ajuda a identificar os períodos de maior rendimento, sendo possível planejar estrategicamente seus gastos e aperfeiçoar a aplicação do 13º.

 

7 – Se houver dívidas a quitar, use o 13º salário, pois ele pode ser justamente o alívio financeiro que você aguardava para quitar suas dívidas. Isso é muito comum quando nos endividamos durante o ano (principalmente por meio de financiamentos e parcelamento de faturas de cartão). É melhor quitar logo essas pendências do que lidar com juros de cartão e de cheque especial que são bastante elevados, e ainda há uma maneira ainda mais efetiva para se livrar de juros altos e abusivos: Uma revisão contratual de seu financiamento, podendo ter um ótimo desconto no valor das parcelas ou até 70% de desconto no valor total para a quitação do contrato.

 



Deixe uma resposta