Tem duvidas como funciona a busca e apreensão?

 



Depois de quantas parcelas atrasadas o veiculo entra em busca e apreensão?

A Busca e apreensão ocorre devido ao atraso no pagamento das parcelas de seu financiamento.

Após contato do banco ou financeira estipulando cobranças das parcelas em atraso, incluindo honorários, taxas, multas e juros, implicando cada vez mais em seu financiamento.

É imperioso lembrar que não existe uma data pré-fixada para os bancos darem inicio junto a justiça afim  do pedido de busca e apreensão do veiculo.

Como funciona o procedimento?

A busca e apreensão é uma ação prevista em lei que possibilita á financeira que retire o bem, que não está sendo pago corretamente. Geralmente o mandado para recolher o veiculo ocorre a partir da terceira parcela em atraso, apesar de existir a possibilidade de ser solicitado desde a primeira.

No entanto existem alguns pontos que precisam ser analisados sobre, como precaução.  Entre todas as buscas, apreensões e reintegrações de posse, uma grande parte ocorre de forma ilegal por conta de três principais motivos:

  1. Taxas e valores embutidos no contrato sem conhecimento do cliente.
  2. Juros abusivos no financiamento
  3. Pedido da busca e apreensão em cartório de outro estado (Para que o consumidor não seja notificado)

Os dois primeiros problemas podem ser evitados com uma prevenção, é importante que no momento do financiamento esteja atento a tudo que esta em contrato. Se esse cuidado não foi tomado, as chances de estar pagando valores maiores nas prestações do seu carro, Nesse caso, uma ação revisional pode facilmente acabar com os Juros Abusivos, diminuir o valor da parcela e principalmente garantir a permanência do seu veiculo em sua posse.

Devolver o bem (veículo) financiado quita a dívida?

Na maioria dos casos NÃO!

No contrato de alienação fiduciária (financiamento) o agente alienante (banco ou outra instituição financeira) “empresta” o dinheiro para que a pessoa compre o bem (veículo etc), mas fica com a propriedade deste até que o financiamento seja quitado.

Ou seja, o bem fica em garantia para pagamento da dívida e se o contratante não pagá-la, o banco pode entrar com ação de busca e apreensão para retira-lo a fim de vender em leilão para cobrir o saldo negativo existente.

Pela lei da alienação fiduciária, o banco é obrigado a vender o bem financiado (veículo etc) em leilão e esta venda normalmente se dá por valor entre 50% a 70% do valor de mercado do bem. Após, pagos os custos com leiloeiro, custas judiciais e honorários advocatícios, o que sobrar do valor vai para abater a dívida.

Portanto, normalmente, o valor que sobra não é suficiente para cobrir o financiamento, ficando um saldo devedor a ser pago.

Lembre-se sempre terá alguém te monitorando.

Na maioria dos casos você pode estar sendo observado. Antes da “cobrança” começar a agir e entrar com a ação de busca e apreensão, eles direcionam profissionais afim de vigiar você e saber se o veículo está no mesmo local do financiamento, pois em caso de vitoria na liminar da ação de busca e apreensão, acompanhados de oficiais de justiça darão inicio a busca pelo seu veículo, sem nem ao menos conceder uma possivel defesa.

 

QUAL É A MELHOR DECISÃO?

Se você não deseja entregar ou perder o bem, a melhor solução é tentar recorrer a redução de parcelas e refinanciamentos ou até mesmo a quitação do seu contrato. Neste parâmetro de negociação, é essencial que se tenha uma empresa com profissionais capacitados e com total transparência para lidar com a situação da negociação e redução das parcelas, iniciando uma ANÁLISE CONTRATUAL eficaz e que reduz até 70% de desconto.

Evite a Busca e Apreensão do seu veículo! Saiba se está pagando juros abusivos no seu financiamento e quite seu veículo com até 70% de desconto.



Deixe uma resposta